O dia em que a morte foi parar na cadeia.


basílica de Santa Maria del Popolo, em Roma, é visitada por milhões de turistas todos os anos. Um dos motivos que atraem os visitantes é o fato de ela possuir importantíssimas obras de artes (que podem ser vistas gratuitamente). Entre elas, estão dois trabalhos de Caravaggio: “A conversão de São Paulo” e a “Crucificação de São Pedro”.
A basílica também guarda uma curiosidade que nasceu das lendas do povo romano. Trata-se da “Morte na prisão”.

A história é a seguinte: na Roma dos anos 1300 a 1600 existia uma irmandade chamada “Arciconfraternita della Buona Morte” (Congregação da Boa Morte), cujo trabalho era fazer caridade, dando enterro digno aos mortos encontrados nas estradas. Uma vez encontrados, os mortos eram enterrados na igreja mais próxima.

Certa noite, alguns homens da irmandade encontraram um cadáver perto da Via Flaminia. Eles o recolheram e o levaram para a igreja de Santa Maria del Popolo. Chegando lá, bateram na porta para que os frades a abrissem. Mas eles não ouviram. Então, os homens se viram obrigados a arrombar a porta para entrar. Uma vez lá dentro, levantaram o mármore do piso e enterraram o corpo.

No dia seguinte, os frades, indignados pelo arrombamento, foram protestar junto ao Papa. O Pontífice, surpreso pelo ocorrido, perguntou: “E quem cometeu este ultraje?”. Os homens responderam: “Foi a morte”. O Papa, então, determinou: “Se foi a morte, prendam-na”.

Foi assim que surgiu o baixo-relevo que mostra a morte atrás das grades.

Da imaginação popular, nasceu “A morte na prisão”, que, na realidade, é o monumento funerário construído pelo arquiteto romano Giambattista Ghisleni. O monumento macabro de um esqueleto sorridente atrás das grades fica ao lado esquerdo da porta principal da igreja.

Embora a história sobre essa tumba tenha nascido da imaginação do povo romano, é sempre muito interessante relembrá-la para conhecermos um pouco da cultura e das tradições dos povos antigos.

Fonte: https://pt.aleteia.org/2019/05/30/o-dia-em-que-a-morte-foi-parar-na-cadeia/


Voltar